Palestrante Sérgio Dal Sasso

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Vendas e a relação custos x ganhos (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

Entrevista com Palestrante Sérgio Dal Sasso e José Alvarez

Além da ferramenta que calcula as vendas por metro quadrado, os especialistas afirmam que é importante analisar a relação entre os custos que a loja tem e os ganhos previstos. Para o sócio-gerente da ZR Consultoria Econômica e Financeira (São Paulo/SP), José Rubens Alvarez, o faturamento por metro quadrado está atrelado à expectativa de rentabilidade do estabelecimento comercial. "Na verdade, o que o lojista tem que considerar é qual a relação do seu custo com os ganhos previstos", ensina.

Segundo Alvarez, algumas questões precisam ser levantadas, tais como: o meu faturamento cobre os meus custos atuais? As minhas margens de lucro desejadas são as que realmente consigo praticar? Frente à minha concorrência, qual é o meu desempenho financeiro frente ao meu principal concorrente? O meu giro de estoques é aquele que atende ao meu mercado e à minha necessidade de produtos em demonstração? Se o objetivo for mesmo atrelar o faturamento do negócio à metragem da loja, Alvarez diz que deve-se calcular da seguinte forma: a capacidade de negócios que posso concretizar no meu espaço, versus a minha expectativa de ganho.
"Vale lembrar, por exemplo, que os supermercados não somente contabilizam o espaço físico com a capacidade de faturamento, como também a rentabilidade média desejada por família de produtos. Por exemplo, a família das bebidas alcoólicas, a família dos farináceos, a família dos enlatados, etc... e assim sucessivamente", salienta. Portanto, ele assinala que deve-se considerar não somente o metro quadrado de faturamento, mas a linha de produtos que serão comercializadas para se saber qual a real margem de lucro esperada nesse nível de transação.

Competitividade exige informação e gerenciamento

O consultor empresarial, pós-graduado em gestão financeira e MBA em varejo e autor de livros como Os gigantes das vendas, Sérgio Dal Sasso (São Paulo/SP), salienta que, em meios competitivos, em particular no varejo e sua natural competitividade, a evolução dos detalhes leva-nos sempre a um comparativo de custos versus resultados, e é dentro dessa visão que devemos centrar o potencial criativo e inovador para organizar o que de melhor pudermos para garantir o aproveitamento pleno de produtos e serviços diante de um consumidor potencial. "O comparativo de resultados por metro quadrado possui a propriedade de avaliar a produtividade da loja em relação às demais e sua própria evolução em acordo com as constantes análises e modificações visando melhorias. Dal Sasso explica que existe uma relação lógica entre a expectativa do que esperamos como resultados futuros e as modificações possíveis pela adequação das metas. Nesse caso, quanto maior for a qualidade das informações, sua organização por categorias de produtos/serviços, espaços e áreas por elas utilizadas, melhor será a implantação de mudanças e a visão do que de fato agrega ou não valor ao negócio.

"Quanto maior a loja e seu “mix” de produtos, mais necessário se faz a medição por área, sua produtividade e desempenho da estrutura operacional responsável pelo desenvolvimento", enfatiza. Para ele, um dos grandes benefícios desse sistema é poder identificar com maior velocidade os caminhos que propiciarão a rentabilidade por setor versus a satisfação dos clientes. "Quanto mais objetividade damos a um negócio, muito melhor será sua possibilidade de crescimento, já que dispomos de mais ferramentas de análises, tanto do ponto de vista do cliente, como do da gestão adequada dos produtos e serviços", explica.

Na ponta do lápis

Para se calcular o faturamento ideal por metro quadrado, deve-se dividir a área total de vendas pelo faturamento planejado, que vai variar de acordo com o tipo de negócio. Por exemplo, se uma loja de 500 m² tem um faturamento planejado de R$ 200 mil por mês, isto equivale a dizer que o metro quadrado deve rentabilizar R$ 400 por mês. Qualquer produto exposto que esteja rendendo abaixo disso deverá ser melhor trabalhado.

Jornalista: Lia Nara Bau/Jornal Exclusivo


www.sergiodalsasso.com.br

Gestão de negócios: entre crises e soluções (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

O fato comum de tudo que soma e pode valer a pena ser feito, é que obrigatoriamente nossa vida é dividida entre dificuldades e a capacidade por solucioná-las, ou seja, nascemos e vamos evoluindo ganhando pontos pelo fazer o fácil bem feito, mas é pelo enfrentar das coisas que deparamos com obstáculos onde vamos depender de um mergulhar pelo aprofundamento e desenvolvimento de equações que realmente mediquem as situações.
Esse é o mundo por onde temos que trilhar e é típico de quem todo dia terá que atravessar rios de pedras, onde o limo e a correnteza, nunca demarcarão os caminhos certos e seguros para nossas passagens.
Sabemos que ser criativo, inovador e conhecedor já nos ajuda muito, mas lembrando dos estilos daqueles com visão mais ampliada é sempre bom saber organizar e usar bem a caixinha de ferramentas, já que ter talento na prática é a resposta que daremos quando da colheita e melhorias dos resultados.
Na realidade, as tempestades estão soltas por ai e mesmo assim a água para o banho anda meio fria. Para um futuro coerente, antes de tudo vem o crédito interno que valida de seguranças ao que visualizamos, planejamos e animamos a fazer. Do mercado, quando percebido e organizado internamente, saberemos obter os recursos necessários, evoluindo a capacidade de seleção do como e onde buscar os caminhos, e assim construir garantias de sucesso pela qualidade das origens e sustentação das atividades. 
A regra é nunca se antecipar assumindo perdas quando ainda não tentamos de fato, e é por ai que vamos aprender a distinguir “um ninguém” pelo determinismo de quem busca ser “alguém”. Somos oportunistas por necessidade, idealistas quando lutamos pelo o que queremos, mas sofredores quando as tentativas de buscas não se encontram com os valores esperados.
O oportunismo deve impulsionar a persistência pelos encontros sucessivos, até que possamos montar, dentro de um seletivo quebra-cabeça, um conjunto de pessoas viáveis e interessadas pelo aprofundamento das relações, frente às possibilidades de produção ou até mesmo de fusão dos propósitos.

“A fórmula do como criamos nossas dependências tem tudo a ver com os objetivos que sonhamos para ser independentes”.

www.sergiodalsasso.com.br

terça-feira, 26 de agosto de 2014

EMPREENDEDORISMO BRASIL (Palestrante Sérgio Dal Sasso)


Perder um emprego, quebrar o negócio. Ter que ficar se controlando com medicamentos, analistas e psiquiatras. Tomar uma decisão errada e prejudicar a empresa, perder um cliente. Ajustar a economia doméstica, para poder continuar. Usar o cartão de crédito e sequer conseguir pagar os juros mínimos. Brigar com o chefe ou ficar magoado por ter discutido com o subordinado. Tudo isso é uma fantástica conclusão de que estamos na luta e, portanto vivos. Os problemas surgem a todo instante, e as soluções dependerão do tamanho da disposição para persistir até que as coisas sejam superadas. Persistir neste caso tem o claro objetivo de se adaptar, com posturas e conhecimento frente à nova realidade pretendida para ser vivida.

Situações e momentos desfavoráveis, não são específicos de ninguém, nem das empresas, nem das pessoas. A evolução muitas vezes nos leva a processos inevitáveis de transições, que obrigatoriamente, demandam por mudanças de atitudes que rompem com os padrões anteriormente reconhecidos e aceitos. Velhos vícios, como comer frango com a mão, podem ser um sucesso dentro do seu ambiente intimo, mas de alto risco quando exposto ao meio necessário a sua sobrevivência.

Somos o que o mercado quer que sejamos. Portanto, sua expertise não deve se limitar a ter o melhor equipamento e conhecer o alvo, mas incluir o prazer e gosto na execução, mesmo quando os processos do dia a dia aparentemente sejam rotinas dependerão de novidades criativas para ativar e renovar o seu próprio interesse e por tabela o continuísmo do consumo.

Quando uma ideia é boa, a aceitação estará na dependência do processo de comunicabilidade a ser introduzido para ser a ponte com os canais necessários. Diria que toda estratégia quando em risco morre no meio, nunca nos extremos, e que o grande desajuste humano está em encontrar formas para se comunicar e obter êxito entre o que foi feito e para aonde deve ir. A variabilidade não está nos extremos, mas na criação dos meios para viabilizar as pontas. Nos extremos encontramos comportamentos iguais, processos para produção e consumidores, e nos meios, ideias, projetos e soluções que obrigatoriamente deverão estar conectados com as tendências do futuro.

Existem profundos vazios entre o que queremos e fazemos. Muitos fazem pouco e mesmo os poucos que fazem correm grandes riscos por não conseguirem articular o tempo, dentro das variáveis necessárias para obtenção do êxito. A matemática do mercado é simples, quase como uma operação algébrica, o grande problema é que as contas vêm todas ao mesmo tempo, e assim dependem gradativamente da sofisticação de um processamento para garantir a aceitabilidade do que fazemos e para quem fazemos.

Empreender é uma escola onde aprendemos a colecionar, evoluir e melhorar retornos, e quanto maior as quilometragens e caminhos, melhores as possibilidades positivas de respostas.

Perder emprego, falir, ou mesmo errar em processos decisórios, é parte das aulas necessárias, é parte da tua vida, a ser estendida pelo caminho somando experiências, somando vivências, cases, informações e capacidade evolutiva de processamento. Empreender é dar um passo na frente, surfar uma onda, mesmo que seja com a pranchinha de isopor do seu filho, e saber, ou melhor, ter a certeza de que no fundo do seu poço existe uma mola, com elasticidade suficiente para recolocá-lo na frente do seu sonho, no mundo das realizações.

Empreender é ser Gente, saber conquistar, saber amar e conseguir ser amado pelo maior contingente possível, pois as adesões no mundo seletivo só serão alcançadas frente à exposição do seu máximo em empenho e dedicação.

Ser Gente é reconhecidamente um pré-requisito para o êxito da sua administração, pois será o elo entre o efeito da sua marca própria e o que a vida poderá lhe propiciar. Não importa o tamanho das suas ambições, empreender é realizar, lutar na linha de frente, ser reconhecido e conquistar adesões. 

Entre estratégias, planejamentos e alcance das metas, existem variáveis que completam e aceleram a movimentação das estruturas. Os objetivos dependem das atitudes, que exigem percepções claras, para que as coisas que pretendemos saiam do papel, motivem pelo que acreditamos e sabemos que podemos.

Aceite novos desafios, não pare, não desista, muitas vezes dependemos apenas de um conselho, de um impulso a mais, o céu não fica nublado o tempo todo.




Sérgio Dal Sasso, consultor empresarial, escritor e palestrante. Palestras em administração, empreendedorismo, vendas e educação profissional.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Lições para o sucesso: do comportamento à realização (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

“Nossa diferenciação dependerá dos pequenos detalhes onde segundos a mais representem as fórmulas para que a sua sabedoria se encontre na frente do tempo dos outros” (Sérgio Dal Sasso)
Sonhos

Costumo dizer que existem dois tipos de sonhos. O primeiro é quando procuramos usar o nosso leito, se mantendo acordado e forçando a mente para algo que desejamos, como por exemplo: ganhar na loteria, viajar, ter o carro dos sonhos. O segundo, típico das noites de domingo para segunda, nos envolve com as preocupações e problemas a serem superados enquanto nos lembramos da realidade a vencer, tipo contas a pagar, desafios a enfrentar e decisões a tomar.
Tente tirar os pesadelos da frente, procurando soluções com os pés no chão, criando os espaços para vivenciar agindo no seu dia-a-dia e conquistando passo a passo tudo o que parecia, mas não acontecia.

Motivação

Comece o seu dia com um sorriso espontâneo, dirigindo-o a alguém próximo. Garanto que a resposta que você terá será melhor que a de ontem. Mas não pare por aí, se o banho quente não o renova, ajude o governo evitando futuros “apagões” e vá de ducha fria, acho que você vai se sentir melhor para lutar pelas condições que lhe ofertem o equilíbrio para as conquistas.
Sua missão para que os valores do empenho apareçam deve estar atrelada às energias que te façam construir novas famílias, que possam ampliar seu conhecimento com o reconhecimento para que a velocidade tenha a qualidade em ritmo para acompanhar as mudanças.

Atitude

Ou você faz, ou tenha certeza de que alguém fará em seu lugar. Tudo passa e o tempo não está nem aí pelo fato de você aproveitá-lo ou não. Também não adianta buscar ajuda não convencional, acreditando que aquele lá de cima sempre terá um tempinho só para você. O mundo está aberto e parte dele tá na rede, mas por mais aprendizado que você tenha pelo virtual, um dia terá que aplicá-lo se expondo para cantar a sua própria música, criando públicos para formar a sua parte aplausos. Este é o desafio que você encontra na vida, do tipo “SER OU NÃO SER”, de William Shakespeare.
Quebre o gelo e treine muito para que seu lado proativo vença as limitações e o faça superar as incertezas das ações iniciais e o medo pelas aceitações.

Percepção

Trabalhe observando o que acontece, o que precisa acontecer, o que pode surpreender. Existem pessoas que fazem bem feitos, que são dedicadas, seguem as regras, os livros e a didática correta para não serem surpreendidas por maus resultados, mas de certo sabe-se que as respostas nem sempre são as planejadas, pois dependem naturalmente dos ajustes, eliminações e inclusões, e para isso, mais informações e adequações serão uma eterna justificativa para que o se mexer o afaste sempre do se acomodar ou parar.
Do ponto de vista dos negócios, enxergar o que ninguém consegue ver é o princípio da excelência de poucos. Perceber o vento e a sua direção, de onde ele vem e para onde ele vai, irá produzir mais clareza para que seu caminho reúna os detalhes que farão a diferença.

Capacitação e competência

A grande maioria dos principais empresários e executivos do mundo não chegou ao sucesso pelos meios acadêmicos. Seus resultados vieram da experiência e da vivência, do praticar o exercício diário do “trabalhar”, aproveitando a disponibilidade do tempo para realizar, conhecendo e trocando conhecimentos com outros, errando e ajustando.
O conhecimento deve andar junto com a aptidão e “tesão”, pois na prática precisamos nos tornar percebidos e gostar disso, para que nossa formação conquiste resultados. Também é indispensável desenvolver características proativas, ou seja, para crescer é preciso passar pelo tentar até se chegar ao feito. A intensidade dessas características fornecerão subsídios práticos, tanto para a evolução compartilhada, como para que os outros percebam a nossa existência e avaliem o grau da nossa competência.

Estratégia, Planejamento e Metas

Estratégia não tem nenhum valor enquanto isenta de ações táticas, e essa é a diferença entre um intelectual e um gestor. É muito comum encontrarmos grandes estrategistas que se confundem com grandes sonhadores, por não conseguirem pôr em pratica o que pensam e o que escrevem.
Organizar o que pretendemos fazer, quantificar e qualificar o conjunto necessário (meios e formas), do como ao o que pretendemos ser, é a melhor ferramenta para anteciparmos a vida com ações reais para se atingir os resultados e expectativas.
De nada adiantam estratégias, projetos e planejamento, se não forem transferidos ao conjunto que chamamos de equipes e colaboradores. Existe uma parte para que todo o esforço tenha a sua recompensa.  A meta e suas evoluções dependem da forma como ajustamos nosso tempo, dotando-o de qualidade de pessoas e processos com a humildade para se incluir conectado com a parte dos outros e pelo comprometimento comum aos objetivos.

Realização

Nossas realizações vêm de coisas simples e de feitos complexos, pois dependem dos desafios de conseguir desenvolver trabalhos que sirvam como palcos para que outros melhorem suas condições. A minha parte depende da sua parte para que a nossa parte seja crescente e contínua. 


Vídeo Institucional:

domingo, 24 de agosto de 2014

INAUGURAÇÃO "Espaço Bolsas Nó de Pano" em São Paulo.

ESPERAMOS POR VOCÊS VENHAM COMPARTILHAR SORRISOS: inauguração "Espaço Bolsas Nó de Pano" em São Paulo.

"Tenta- se traduzir que todo o sucesso deve ser retratado pelo conjugar de sorrisos, das aproximações, do saber como criar uma saudade gostosa, fazendo com que os outros tenham vontade de voltar." (Sérgio Dal Sasso)






Projetos, empreendedorismo e futuro (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

A vida é um grande palco onde temos que aprender com o que pesa das experiências e vivências, para que assim tenhamos luz própria para alcançar as próprias referências. Nossa construção dependerá sempre da solidez das bases que devemos formar para um agir sustentável e organizado diante das mais variadas situações e desafios a serem enfrentados nos desenvolvimentos dos projetos.  

Ter ideias não é nada difícil, mas fazê-las saírem do campo dos sonhos, tornando-as reais é sempre algo desafiador, pois o grau de dificuldade não mais se encontra na comprovação da capacidade de quem desenvolve algo, mas no convencimento de que esse algo possa ter afinidades e interesse de consumo. Se no passado ainda existiam espaços para se criar algo novo, hoje a durabilidade de qualquer novidade é quase que instantânea, já que disputamos centímetro a centímetro o interesse dos mesmos públicos diante das infinitas possibilidades do como eles podem gastar seus recursos.
É no meio de um mundo de dificuldades que vamos ter que mostrar nossas aptidões talentosas, e enfatizando isso, devemos resumir nossos avanços indo de encontro com o que ainda não somos.
Nunca diga que isso ou aquilo é um saco de se fazer, pois está no que a maioria não gosta o diferencial dos que acertam”.
Quantas vezes me deparo com meu próprio pensamento em querer pular as fases de algo que tenho que fazer, mas que por diversas razões não são do gosto pessoal, e quantas vezes as coisas não acontecem exatamente por estarem incompletas de informações e de gente que podia estar junto, mas que por caracteristicas suas e minhas, desprezamos por achar que são desnecessárias.
Quando falamos em projetos, falamos do que ainda está para ser feito, do futuro, das convicções e condições para sustentação e recursos à direção planejada, para que desafios e dificuldades sejam substituídos por oportunidades. Projetos dependem da qualidade dos estudos para que nos demonstrem o poder da sua viabilização, e nesse caso o passado devidamente registrado é algo fundamental para garantir a organização atual, sua avaliação e simulação do que fazer pelos objetivos.
Do lado qualitativo, e de olho no conjunto das coisas que nos fazem melhores, devemos pensar que sociedades complexas dependem dos valores de troca, que não mais podem ser desenvolvidos por hierarquias que enferrujam as decisões, mas por pessoas cujas qualidades se afinem pelos objetivos comuns, pelo compartilhamento de idéias e soluções que formem atrativos para que possamos conquistar e selecionar com quem vamos.
Fica fácil a gente aprender com a vida e depois olhar para os fatos do passado e pensar o como teria sido os resultados com a visão atual. Rever o passado é válido, mas diante do já foi registrado somente a disposição pela análise e vontade de mudar, pode somar para que nossa evolução hoje seja incorporada de mais seguranças pelo que acreditamos poder ser amanhã. Nesse sentido as saudades e as insatisfações devem ser adicionadas ou revistas mantendo o que de fato nos fizeram conquistar as coisas boas e aprendendo a se modificar, evitando os mesmos vícios e ausências que ajudaram nas falhas. 
 
Sérgio Dal Sasso
“Empreendedorismo de A a Z”
Sérgio Dal Sasso, consultor, escritor e palestrante. Palestras empreendedorismo para carreiras, profissões, empresas e instituições públicas. Portal: www.sergiodalsasso.com.br

sábado, 23 de agosto de 2014

Humildade, conhecimento e carreiras empreendedoras! (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

Banana, aveia e mel, e se incluirmos leite, uma boa vitamina. Gostos são específicos a cada um, mas o que temos que pensar é que somos necessários em proporção a nossa capacidade de identificar, saber estreitar e assim se aproximar das possibilidades de êxito, através de métodos que absorvam tanto os conjuntos simples, como os mais exigentes.


Evolução pode significar estudos acadêmicos, identificação das oportunidades, uso das relações, experiência, amadurecimento, entre outros valores, mas tudo é dependente da forma do como conseguimos lidar com o equilíbrio e assim superarmos as variáveis que impedem os avanços.


Antes do sucesso, e até porque cada um tem a sua maneira de interpretá-lo, nossa evolução vem da produção de idéias (isoladas e em equipe) junto com a procura e encontro de caminhos que tenham sintonia com o que pensamos e queremos fazer. Encontrar depende do se encontrar, mas será por ai que começaremos a ter disposição para transformar teses mostrando nossas faces no plano prático.


A resposta do porque de tudo é única e chama-se realização. Seja qual for a sua forma, dependerá de estímulos para sua própria renovação. Como na velha teoria contábil, a vida tem sua origem pelo como conquistamos, tanto como, do como aplicamos, dentro de um vai e vem, que determinará ou não a continuidade pela própria qualidade que impomos a nós mesmos.


Não pense que podemos ser mais ou menos em qualquer coisa, pois independentemente de estarmos em uma atividade própria ou atuando com terceiros, serão as respostas que deveremos oferecer, que somarão para a denominação "de donos do próprio destino", não tanto pela capacidade de saber produzir, mas muito pela qualidade do aprender a servir a quem for considerado o seu cliente (internos e externos) a cada fase necessária a sua escalada. 




www.sergiodalsasso.com.br

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Quatro caminhos facilitadores para servir com sucesso nos negócios (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

Analise o Mercado cliente: Estabeleça um sistema de aproximação continuada com o Mercado que compra o seu serviço. Já faz muito tempo em que a rotina, de solicitação e entrega de serviços, não representam garantias e adesões que façam expandir ou manter o nível da sua receita. O setor de serviços passou e continuará passando por profundas adaptações para que a sua identidade fosse mantida e percebida pelo meio que consome. A alta competitividade dos mercados demandou por um "up grade" profissional, modificando sua notoriedade como vendedor e customizador de processos, para um plano maior aonde o risco do futuro é minimizado pelo profundo conhecimento do perfil e visão do mercado migratório atual e futuro. Criar e ousar são bases entre os quesitos para garantir, sobrevivência e gerar diferenciação para ser notado pelos clientes. O papel do “empresário”, não mais se limita a atender as solicitações do menu oferecido, mas o de desenvolver formulas para facilitar vidas, torna-las mais surpreendentes, confortáveis e felizes. O conjunto de partida deve sempre levar em consideração a identificação do perfil e pesquisa de quem compra, identificando suas ausências fisiológicas e psicológicas, para suprir e completar o seu grau de satisfação, do tipo criar status aonde ninguém esperaria receber.

Revitalize sua cara todo dia: Todo dia passa a ser importante para reinventar formas e meios que criem condições de avanço no seu negócio, sua busca deve ser continuada para produzir novidades com qualidade e garantia acima da média. Suas preocupações devem estar ligadas diretamente com a manutenção e melhoria das expectativas dos clientes, para que sejam transformados potencialmente de visitadores a frequentadores. Sua fotografia deve ser sempre modificada, pois você nunca deve esperar que alguém diga que já conhece o seu negócio, pois isso já um sério problema de ausência de criatividade transformativa. O ponto é que todos que visitam e procuram buscam por novidades, e não pela velha referencia de quem estabelece a oferta da mesmice, justificando os bons serviços politicamente corretos. Seu processo deve surpreender com cara nova, roupa nova, técnicas novas, para obtenção de respostas novas, tendo a visão de que mesmo os velhos clientes, só têm essa conotação por já estarem cadastrados no seu sistema. Estrutura física, profissionais, equipamentos e tecnologia devem estar em consonância com a necessidade de criar idéias para a renovação da imagem a ser vendida. Em simples palavras, sua cozinha tem que expressar a cara dos pratos que você desenvolve, e que obrigatoriamente deve continuar desenvolvendo para estabelecer visualmente e mentalmente um marketing renovável do seu negocio.

Tenha uma visão e ação virtual: Nunca se esqueça que seus potenciais clientes mudam de hábitos, e que hoje existe uma rápida e profunda modificação nos sistemas de consulta pela busca de novidades. Se hoje você ainda não é um grande adepto, note que seu filho se encontra boa parte do dia mergulhado nas comunidades virtuais da internet e que será inevitável construir sua venda e exposição pelos canais alternativos criados e evolutivamente acessados. Daqui para frente não ter a cara na Internet, será dispensar uma oportunidade de ser pesquisado quando da busca por novas alternativas. É importante salientar que não se trata de ter um site na rede, com a fotografia dos produtos e histórico da empresa, mas um sistema de relacionamento virtual para atender a sua base conquistada e a conquistar, que inclua um plano de solicitação de serviços, de exposição de novidades, de artigos relacionados com as tendências, que dispare permanentemente a sua presença nas telas dos clientes, procurando despertar à procura dos novos pelos seus serviços.

Esteja sempre a um passo de fazer o futuro: O poder da sua pesquisa deve obrigatoriamente criar e inovar, e sendo assim a ferramenta de um bom planejamento irá contribuir para que os passos do seu negocio sejam organizadamente trabalhados. Não se esqueça que a qualidade do que se pretende fazer estará diretamente ligada aos talentos formados dentro da sua equipe e parceiros. A riqueza do como fazer ficará por conta da competência e equilíbrio emocional instalado entre tecnologias e capital humano formando um conjunto adequado pela medida das necessidades projetadas para o mercado.

Sérgio Dal Sasso
Por Sérgio Dal Sasso, palestrante Administração, Empreendedorismo, Vendas e Educação Profissional, 

NEGÓCIOS E CARREIRAS (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

O DESENVOLVIMENTO
 
- A regra do jogo é nunca se antecipar assumindo perdas quando ainda não tentamos de fato, e é por ai que vamos aprender a distinguir “um ninguém” pelo determinismo de quem busca ser “alguém”.
 
- Num sentido amplo a grande análise a ser feita é o quanto podemos acreditar e usar daquilo que não é essencialmente nosso, e assim nunca perder a visão que temos quer ser o centro para o resultado saudável do que pretendemos.
 
- O bom é receber um negócio prontinho. O chato é entender que tudo dependerá de uma visão ampla do preliminar, com base em pesquisas, estudos e formação de percepções para que o impulso seja trocado pela viabilidade técnica das pretensões do aonde vamos ancorar nosso barquinho.
 
AS ADVERSIDADES
 
- Tempo ruim depende de ventos, ventos dependem das variáveis climáticas, e por tanto, nossa disposição para agir, deve levar em conta até o prazer de carregar o guarda chuva, pois o céu azul pode ser bom para você, mas não ter a mesma percepção do outro.
 
- Cada um “corre como pode”, e ai talvez o grande diferencial seja entender que vencer dentro de um caminho que se objetiva, não significa que todo dia seu desempenho será ampliado em relação aos anteriores.
 
- Quando alguém me pergunta sobre o que fazer, diante de uma situação real de impasse, digo sempre que continue andando para identificar não só as necessidades, mas as próprias limitações para suprir de avanços ao que já se está enxergando.
 
AS MOTIVAÇÕES
 
- O maior capital que podemos ter nos dias de hoje é deter um bom conhecimento em conjunto com a praticidade de usar isso tudo para conquistar o reconhecimento da própria competência.
 
- Não se mede sucesso pelo volume dos resultados, mas pela felicidade quando o mínimo conquistado já nos faz valer uma festa todo dia.
 
- A motivação, antes de tudo, depende da clareza das suas intenções, da seriedade com que seleciona pessoas, do pré-estudo daqueles com quem poderá se envolver para melhorias das idéias, e da comprovação real da qualidade do mundo que construiu para estar integrado.
 
Sérgio Dal Sasso, consultor empresarial, palestrante e escritor: Administração, Empreendedorismo, Vendas e Educação Empresarial e Profissional - www.sergiodalsasso.com.br

terça-feira, 19 de agosto de 2014

VIDA, COMPORTAMENTO E PRODUTIVIDADE (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

Não gosto de política, não gosto de discutir religião, não sou torcedor de times de futebol, mas reconheço que tenho que conviver com os amantes de tudo isso, pois querer desviar das coisas pelo simples fato de que não gostamos é perder as maiorias das oportunidades que surgem a nossa frente.

A primeira lição para um candidato a uma vida produtiva é a que o tempo é sempre pequeno e melhor para aqueles que se ocupam. A grande medição para testar se o seu caminho está sendo bem trilhado é a de conseguir naturalmente se distanciar do relógio no sentido de não se viciar em ficar contando às horas que ainda faltam para certas coisas terminarem.
 
O ser produtivo valoriza seu tempo emprestando-o sem vendê-lo, e por saber seu custo de importância, quase sempre está correndo contra ele, tentando fazer o máximo e lamentando ao fim de cada etapa, o fato de um dia ter somente 24 horas. Na verdade não estamos falando de temperamentos “workaholic”, típicos de pessoas que quando dormem reservam a maior parte dos sonhos para os números, mas de gente que consegue equilibrar seu mundo produzindo, compartilhando e amando.
 
Nosso equilíbrio é o único fundamento necessário para conseguirmos andar de bem com a própria capacidade pelo prazer de exercê-la, pois visualizando e pesquisando nosso cérebro é possível entender que nosso motorzinho foi construído com dois lados, o esquerdo onde prevalece a razão e o direito responsável pela imaginação e criatividade. Na nossa realidade imposta pelo dia a dia acabamos, por necessidade e obrigação, abusando do nosso lado racional e lógico, quase dispensando o lado onde podemos de fato alimentar as energias da renovação pelas reinvenções. O ritmo imposto pelo ter que cumprir as obrigações pelas metas, acabam por nos transformar em seres sem ar e graça. Devemos aprender a reservar e educar nossas vidas com valores que possam adoçar nossas emoções e subsidiar em vontade e disposição as determinações para que sejamos mais comprometidos e envolvidos.
 
Nossos segredos para um estar de bem com a vida, vêm da disciplina pelas buscas de novidades, para que não sejamos rotina. É muito desestimulante ter que adicionar evolução sem as mudanças que justifiquem o querer mais, sem o se afastar das chatices de viver de dias certinhos e previsíveis, sem emoções para se surpreender.
 
Vencer o que nos bloqueia, o que nos oferta de medos e receios, é o inicio a um estimular de razões para saber escolher, se interessar e aprender a julgar pelo melhor a ser seguido, unindo em equilíbrio os estímulos para alimentar o seu lado racional com o criativo. Imaginações férteis, combinadas com a visão lógica facilitarão para que prevaleçam os lados positivos diante das insatisfações naturais do dia a dia.
 
Retirando o que não se gosta, e o que achamos que não podemos, abriremos horizontes para novas percepções do como podemos andar, ampliando mais as possibilidades por um despertar de novos benefícios dentro das condições que dispomos, incluindo coisas do tipo, se não der para ir de avião, devemos evoluir pelo gosto em ir a pé. O importante é nunca andar de ré, de lado ou ficar parado!
 
Nossas vidas estão na frente, e não adianta viver montando castelos de areia em maré baixa, já que são de tempo curto, de sustentação temporária. Melhor então é pensar em construir uma visão própria e global, pois se o mundo insiste em classificar-nos em gerações X, Y ou Z, eu diria a você, que para ser diferente, esqueça os rótulos e crie o seu estilo baseado nas procuras e encontros que o harmonizem com uma rica média ponderada de pessoas, que em comum reúnam motivos para compartilhar coisas interessantes que alimentem e valorizem a vida com qualidade, admiração e uso.
 
Sérgio Dal Sasso: Palestras, Treinamentos e Consultoria
Conteúdo, Ideias e Palestras

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O JOGO DA COMPETÊNCIA (Palestrante Sérgio Dal Sasso)


O JOGO DA COMPETÊNCIA...

O jogo que tem valor está exatamente no campo de batalha e, portanto é de alto risco e feito para uma nova safra de destemidos, loucos e determinados conquistadores. Ao contrário, num passado muito próximo, o show era ser parte de um "staff", medido por reuniões intermináveis, junto a um grupo de estratégicos pensadores.(Sérgio Dal Sasso)


www.sergiodalsasso.com.br

CRÔNICAS DA VIDA PROFISSIONAL (Palestrante Sérgio Dal Sasso)

Mudamos pelo que o mundo necessita e pela motivação aos novos temperos em meio aos caminhos da vivência e aprendizado. Às vezes paramos, e em momentos de imersão, refletimos sobre o que somos hoje, e logo pensamos como seriam as oportunidades passadas quando incorporadas dos nossos avanços. Quase tudo é assim, olhamos para traz e vemos que podíamos ter feito diferente, e essa é a distancia entre sonho e a realidade.

O que somos hoje é parte da pretensão do que queremos para o amanhã, mas isso dependerá da redução dos intervalos entre o que pensamos e a capacidade para sua execução. Digo capacidade, pois é bem diferente do que ter vontade, já que qualquer um pode usar de impulsos para agir, o que não é garantia para geração de resultados dentro de uma razoável independência sazonal.

As pessoas não são tão diferentes entre si, apenas algumas conseguem tirar da experiência, uma maior confiança para incorporar segurança na sua própria capacidade de agir. Não se trata de acertar tudo, mas de se expor para poder arrumar os próprios erros, adquirindo e formando trajetórias com doses cada vez mais crescentes de independência, do tipo que incorpora sua visão pessoal em cada coisa que lê, observa e faz.

 Medos, eu tenho, você tem. Muitas vezes ao encarar qualquer coisa nova achamos que o coração não vai aguentar de tanto saltar, mas quando continuamos nos ajustes aqui e ali logo percebemos que os problemas não param. A atividade exercida pelos novos obstáculos, enquanto evitar acúmulos, manterá seu coração longe da falência, pelo uso e estimulo a inteligência, pela necessidade de continuar competente, absorver desafios, novas metas e resultados.

 A crônica das nossas historias, não diferem pelas coisas que falamos, mas pelo entendimento daquilo que suas formas representam. A composição do nosso refinamento está nessas pequenas inclusões dos detalhes, típico daqueles que se preocupam com uma virgula, ou por um mergulho a mais para formar o real sentido do que se pretende.

A aplicabilidade de tudo que o mundo nos oferece deve estar incorporada junto com aptidões para que as atividades tenham o tamanho das ambições e uma capacidade reduzida de riscos. Na verdade a pessoas agem pela compreensão do até onde podem ir, limitando-se por ficar sentadas ou a caminhar até o limite das reações legais. Num caso ou no outro, todos gastamos muito tempo, mas sempre tem gente que sabe colocar mais qualidade do que quantidade no que faz.

Sérgio Dal Sasso, consultor empresarial, escritor e palestrante. Palestras em administração, empreendedorismo, vendas e educação profissional.

CABEÇAS CRIATIVAS: COISAS DE PROFISSIONAIS MODERNOS (PALESTRANTE SERGIO DAL SASSO)

A gente só muda quando deixa de ficar surdo, partindo de um tímido mudo pelas buscas que a vida poderá nos ofertar com novos ensinamentos e modificações. O evoluir é a parte da atitude a ser combinada com a compreensão e aceitação, incluindo as pequenas e importantes coisas, para que continuemos pelos sonhos e algumas conquistas de melhorias.


Quando se tem um projeto, seja qual for o seu objetivo, deve-se em primeiro lugar identificar, aprender e saber conviver com as regras do jogo que hoje fazem a condução positiva dos que já atuam no meio. Em tudo tem seu tempo, já que não existe nada de novo que não tenha sido originado pelo velho e nada de velho que um dia não foi considerado como novo, mas o novo que dá certo é gerido por pessoas que ponderam os valores das origens com os da criação.

Estou aqui, com meus 50 anos, e sempre dou uma paradinha para pensar em como trilhar a minha estrada e aí vale tudo para fazer o futuro, ruas que tive que criar, buracos que desviei somados com os que me ensinaram a tapar e os muitos que ainda estarão pela frente. A vida é um desafio, e por isso não tenha dúvida que toda experiência somente traz volume para o bolso, quando tiver convergência como item facilitador para se vencer buracos. A capacidade para soluções e decisões serão sempre os valores a serem enriquecidos, para que possamos garantir continuidade nas carreiras e profissões.

As pessoas são diferentes, pintam quadros diferentes e por muitas vezes isso é um incômodo a ser superado, pois o mundo pede pela capacidade de saber lidar com as diversas tribos. Almas gêmeas só têm conflitos pelo egoísmo e vaidade, quase nunca por novidades. Nossa dedicação em cima dessas diferenças é que vão ampliar as próprias bases, construindo os ambientes reais de trocas de conhecimento, atualização e por tabela condições de produzir novidades, sejam inovações ou renovações.

Depois de tudo isso, mesmo que queira, não posso pensar nos meus “cinquentinha”, nem do tempo dos vinte e tão pouco se vou chegar ou não aos oitenta, pois nossas idades são o fruto da nossa rentabilidade, das formas como compomos nossas relações e o seu aproveitamento com o oferecer para poder receber quando da inclusão dos novos parceiros.

A você, meu leitor, jovem em formação, jovem na execução e jovem pela sabedoria, enquanto a cabeça fluir, o futuro está ai para ser planejado, negociado e alcançado. No mais espero poder justificar ao som de um chuveiro o eterno calouro interpretando as canções dos meus ídolos.

www.sergiodalsassso.com.br


domingo, 17 de agosto de 2014

As gerações das mentes jovens (Palestrante Sérgio Dal Sasso)


As gerações das mentes jovens (Palestrante Sérgio Dal Sasso)


Para não avançar, basta não se exercitar para que a ausência da musculatura provoque atrofias nas suas asas. Seja qual for à condição que dispomos para um exercer saudável e produtivo das coisas, não podemos permitir que os confortos tenham um significado de preguiça por se sentir assentado ou que a ansiedade e impaciência venham a precipitar voos sem que haja horas adequadas pela experiência para comprovar as habilidades.

No administrar das gerações e em negócios devemos sempre lembrar que são os sistemas que formam os resultados e que estes são inflexíveis em relação à lógica de que são as vendas e seus custos que fazem o lucro, e que pensando nisso nossos times devem reunir um corpo único capaz de interagir e realizar um trabalho que responda acima das necessidades dos consumidores, sem dispensar a atenção ao quanto “n vezes” proporcionarmos satisfação aos outros em relação ao que valemos.

A palavra competitividade é quem manda nas estratégias dos negócios, e para ser o tal do mercado, mais do que se achar que somos o dono da bola, é preciso enfrentar o desafio de estar, conviver e se sentir dentro do jogo, onde entendimento e participação levam em consideração, tanto as frentes que atacam, como as que defendem, unindo a ousadia com a cautela para a sustentação e viabilização dos feitos.

Um time que faz deve conter a sabedoria do lidar e ter bases para influenciar e negociar entendendo que o valor de um negócio não se define pela idade de marcas ou das pessoas, mas pela preservação, renovações e inclusões de tudo que contribuir na redução de falhas diante do refinamento da qualidade decisória e das ações.  



www.sergiodalsasso.com.br (Palestras empresariais)

www.nodepano.com.br (Atividade industrial) 


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

INTELIGÊNCIA COMPORTAMENTAL (PALESTRANTE SÉRGIO DAL SASSO)

Bom dia!

Hoje acordei diferente e com aquela disposição para procurar o novo, como se alguma coisa dissesse que o dia está começando e só temos dois caminhos, vencê-lo ou esquecê-lo. Comece o seu tentando um sorriso espontâneo, direcionando-o para alguém próximo e garanto que a resposta que você terá será melhor do que a de ontem. Não pare por ai, se o banho quente não te ativa, ajude o governo evitando futuros “apagões” e vá de ducha fria, acho que vai se sentir melhor.

O que quero dizer é que durante toda a sua vida pessoal e profissional, mesmo sendo o mais capacitado, o mais competente, não terá sucesso algum se não souber lidar com pessoas, e que tudo isso nasce num processo de troca que denominamos de relacionamento.

Peço a você que esqueça por alguns segundos da tecnologia, da globalização e lembre-se do padeiro que consegue sobreviver em sua atividade pelo simples fato de que conhece cada freguês da sua carteira, com o detalhe de saber o nome de cada um.

O mundo muda acima da nossa capacidade de acompanhamento, mas não se esqueça que robô não come nada, não compra nada, que sexo com boneca deve cansar rápido e que quando estamos pesquisando algo pelas telas do computador, alguém escreveu antes.

Desculpe meu amigo, mas como você vai conseguir alguma coisa se não tiver de quem comprar e tão pouco para quem vender. Não quero ser repetitivo, mas tem que apreender que todo dia tens uma nova oportunidade inter e intra-ambiente para melhorar e evoluir sua capacidade de doar e receber, e que a intensidade desta troca lhe abrirá caminhos facilitadores para o seu sucesso.

Vamos! Comece pelo inicio, conhecendo a si próprio e pelo modo mais difícil. Escute o que os outros acham de você e para provar que está mudando, pare de culpar alguém quando as coisas não acontecem, pois até pode ser por causa deles, mas não se esqueça que teu futuro é dependente do futuro dos outros.

Eu não disse para que você só pensasse em si, mas apenas que conhecesse a si próprio reinventando uma nova forma de construir novas famílias, que possam produzir conhecimento e competência com mais homogeneidade, obtendo respostas velozes e precisas, que evitem o fim dos casamentos, dos negócios.

E para terminar, peço desculpas se fui direto ao ponto, mas é por ai que vamos evoluindo pela busca das coisas que possam ser duráveis, estáveis e evolutivas.
PALESTRAS INTELIGENTES EM ADMINISTRAÇÃO, EMPREENDEDORISMO, VENDAS E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
Indique nossos artigos aos amigos!

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

RENTABILIDADE, INVESTIMENTOS E REAÇÕES...(Palestrante Sérgio Dal Sasso)


RENTABILIDADE, INVESTIMENTOS E REAÇÕES...

Nossas margens já não são as mesmas, mas é pela rentabilidade que mediremos a própria capacidade de investimento. 

A garantia de resultados depende do instinto da defesa em conjunto com a coerência do como avançar. 

Cabe aqui um momento de reflexão, para se atentar ao lado humano que envolve os negócios e ao comprometimento necessário para as ações ativas e sua conexão com a receptividade diante de um esforço diário do como se faz para satisfazer nossos mercados.



www.sergiodalsasso.com.br