Palestrante Sérgio Dal Sasso

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Empreendedorismo: vencer ou falir! (Vídeo aula debate TV)

Fonte: RIT - Rede internacional de televisão
Entrevistados: Sérgio Dal Sasso, Djanira Consoni Ferreira e Orestes Machado

Empreendedorismo Aula Debate TV (RIT- Rede internacional de televisão)   entre empresários.
Participantes: Empresário palestrante Sérgio Dal Sasso (Indústria), Djanira Consoni Ferreira (Serviços) e Orestes Machado (Comércio).
Apresentador: Eber Cocarelli - Produtora: Ana Maria Sanches
Produzido na RIT e divulgado ao vivo para a América Latina e Europa

TEMPO TOTAL DOS TRÊS VÍDEOS: 1h30


PARTE 01





PARTE 02





PARTE 03



BOA LEITURA E REPASSE ESSE MATERIAL A QUEM VOCÊ QUER BEM !

Renda de autônomos cresce mais do que a de assalariados

Fonte: Folha de São Paulo


Neste ano, a renda média de quem trabalha por conta própria subiu mais do que a dos trabalhadores assalariados do setor privado.

Os empreendedores ganharam, em média, R$ 1.495 por mês entre janeiro e julho de 2012, segundo dados da PME (Pesquisa Mensal de Emprego) do IBGE. No mesmo período do ano passado, era R$ 1.392. Houve um aumento de 7,43%.

O aumento para os assalariados foi de 3,04%.

Na média das capitais pesquisadas pelo IBGE (Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre), os funcionários de empresas ganham mais do que os autônomos --R$ 1.517 versus R$ 1.495.

Mas em três das seis regiões metropolitanas (Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre) as rendas de quem tem o próprio empreendimento é maior.

Salvador é a cidade onde a diferença entre assalariados e autônomos é maior --em média, por mês, os assalariados receberam R$ 257 a mais.

E em Porto Alegre é onde acontece o contrário --lá, quem trabalha por conta própria ganhou, em média, R$ 187 a mais do que os assalariados entre janeiro e julho deste ano.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Gestão, integração e resultados (Por Sérgio Dal Sasso)

Autor: Sérgio Dal Sasso
Fonte: www.sergiodalsasso.com.br

“Mudar é continuar se comunicando com as coisas que fazem sentido hoje. Surpreender é ir além da sua capacidade de fazer o dia, procurando visualizar caminhos que ainda faltam para ser...
em trilhados, incluindo você como guia desses novos desafios.” (Por Sérgio Dal Sasso)

Produtividade é o conjunto de coisas capazes de fazer girar uma atividade empresarial para que os lucros se sustentem pelo talento: das inovações, tecnologias e pessoas.

No mundo da produtividade, 10 pessoas podem processar o que antes precisava de 100, mas na realidade podemos também fazer com que 100 pessoas possam substituir os altos custos da tecnologia para que 10 deixem de fazer.

O que importa no mercado é que possamos ter coisas boas em quantidade e qualidade, e que, independentemente do modelo de gestão, o peso e o valor final se justique aos objetivos de quem manda produzir ou compra. Nisso, é claro entender que a China tem sua vantagem competitiva hoje pelo valor da sua mão de obra e que, por exemplo, os Estados Unidos se sobressaem pela sua capacidade de inovação.

Na regra do jogo do mercado criamos coisas boas e lutamos para que sejam adequadas para o interesse dos outros, fazendo da produtividade o padrão necessário do como queremos, somados com a própria capacidade do negociar e saber contratar nossos custos.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Riscos, ameaças e superação

Autor: Sérgio Dal Sasso
Fonte: www.sergiodalsasso.com.br

“A vida vai sendo valorizada pelos desafios que validam nossa capacidade de fazer melhorando. Os riscos sempre serão amenizados quando nos acostumamos a enfrentar as coisas, colocando-se de frente como os problemas, suas dificuldades e potencialidade para treinar pela superação dos obstáculos”. (Sérgio Dal Sasso)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Livro: Arte de se tonar um profissional cobiçado (Empresário Palestrante Sérgio Dal Sasso)

Amigos e Parceiros!


Reforçanco o lançamento do nosso quinto livro " Arte de se tonar um profissional cobiçado", com nossa participação e conforme material passado pela amiga e também co-autora Marlene Blanc.

O livro pode ser adquirido diretamente no endereço abaixo:
http://www.livrariascuritiba.com.br/arte-de-se-tornar-um-profissional-cobicado-a-aut-paranaense,product,LV309667,3097.aspx

Entre mares: superação e desáfios (Por Sérgio Dal Sasso)


Entre os mares, talvez seja isso, o combinar das coisas e vidas. Se tudo fosse do tipo: alimentar o certinho, o previsível, talvez então não existisse os brilhos, os detalhes, o valo...
r das fotos, a saudade das pequenas coisas, que fazem nossos álbuns, que fazem dizer vale à pena.

Entre os mares, a gente vê o quanto as águas não são iguais, mas percebe que bastam alguns metros para que a vontade supere as diferenças, levando-nos a um combinar formando conjuntos que integram o calor com o frio, adequando-nos com novas temperaturas.

A vida é assim, recheada de motivos para que você possa se alimentar e dar um sentido maior a tudo que busca ou que ainda
está procurando.

Nós não somos diferentes, ou seja, a qualidade do quando acertamos sempre tem a ver com o conjunto de valores que nos transformam em mais fortes, mais determinados.
 
 

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O poder da transparência

Fonte: Canal RH
Autores: Lucas Toyama e Ana Paula Martins


A Petrobras deu esta semana um exemplo raro de transparência e de governança no mundo corporativo. Ainda mais se tratando de uma estatal. Ao vir a público justificar o primeiro prejuízo trimestral em 13 anos, a presidente da companhia, Maria das Graças Foster, surpreendeu o mercado, e ganhou como recompensa a sua confiança, estancando a queda das ações. O episódio mostrou que empresas que primam pela verdade e pelo comprometimento, além do manual de boas práticas, ganham reconhecimento. “Em 12 anos de mercado financeiro nunca vi a Petrobras ser tão honesta quanto foi desta vez”, afirma o economista e sócio da Legan Asset Management Fausto Gouveia.
A declaração resume bem o sentimento de boa parte do mercado financeiro na segunda-feira, após ouvir a presidente da estatal explicar de forma clara os motivos que levaram a companhia a um prejuízo de R$ 1,34 bilhão no segundo trimestre. O ineditismo começou pela própria participação da executiva na conferência realizada com investidores, analistas e jornalistas, normalmente capitaneada pelo pessoal das áreas Financeira e de Relações com Investidores. “Tradicionalmente, a CEO não viria apresentar, mas não poderia deixar de explicar, juntamente com os diretores, o resultado negativo", justificou ela na ocasião.
O prejuízo da Petrobras foi tão grande que era importante a presidente da companhia falar, precisava desse “reforço”, diz Gouveia. O professor Samy Dana, da escola de economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), destaca que a questão da transparência é cada dia mais incentivada na Bolsa de Valores. “Os investidores esperam esse tipo de compromisso das empresas”, afirma.
Muito discurso e pouco prática
Ricardo Balistiero, professor do curso de administração do Instituto Mauá de Tecnologia, também acredita que o comportamento transparente adotado pela Petrobras – endossado e liderado por Graça – foi fundamental para estancar a queda das ações e dar tranquilidade ao mercado. A atitude, destaca, ganha ainda mais importância quando se analisam alguns casos nos quais empresas tiveram a postura oposta. “Se pegarmos a pouca ou nenhuma transparência dos balanços de empresas que foram o motor da crise econômica de 2008, ou, mais recentemente, o que aconteceu com o banco Panamericano, percebemos que, a despeito de ser muito discutida, a transparência nem sempre sai do papel”, destaca Balistiero. “No mundo corporativo atual, não falar a verdade é muito grave. Se a companhia tiver ações negociadas em bolsa, além de grave torna-se crime”, alerta.
O professor enxerga a atitude de Graça como “elogiável” dos pontos de vista administrativo e gerencial. Mais do que isso, ela foi corajosa. “Não podemos esquecer que a Petrobras é uma empresa pública e que, ao apontar erros cometidos em gestões anteriores, ela fez uma crítica indireta ao ex-presidente Lula”, diz.
E foi justamente essa coragem e correção de identificar equívocos e ir a público falar isso que aliviou um desgaste maior da organização. “A partir do momento que assumiu erros, afirmou que eles serão reparados e ressaltou que eles não prejudicarão a empresa no longo prazo, a presidente deixou claro que a Petrobras está sob uma gestão técnica, e não política, o que, sem dúvida, é muito importante para os investidores”, completa.
Prever uma reação do público, mesmo diante de boas notícias, é uma tarefa praticamente impossível de ser cumprida, lembra Josmar Bignotto, coordenador da Comissão de Recursos Humanos do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). “Já vi executivos transmitirem notícias muito boas e obterem reações pouco positivas ou até mesmo negativas da plateia”, afirma. Por isso, a forma com que o porta-voz se pronuncia e a forma pela qual transmite o fato têm um grande peso nessa leitura. “Se o ouvinte percebe transparência e confiança na fala, as chances de encarar a notícia como positiva aumenta substancialmente”, completa.
De acordo com Bignotto, em situações como a enfrentada pela Petrobras é essencial que o porta-voz se pronuncie de forma natural e verdadeira e saiba reconhecer erros, atitude que, segundo o especialista, demonstra sinceridade e grandeza tanto da pessoa que está falando, quanto da empresa que ela representa. “Muitos executivos deixam de reconhecer erros por medo de demonstrar fraqueza”, afirma. “Assumir que os equívocos existem e que a empresa está trabalhando para contorná-lo, demonstra grandeza e, normalmente, possui um impacto bastante positivo”, finaliza.
*colaborou Sueli Campo

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

BAZAR LONGEVITÀ IMUVI - NÓ DE PANO BOLSAS (Sérgio Dal Sasso e Lucila Abdala)

Oportunidade única em São Paulo, para que você possa adquirir os produtos da Nó de Pano (incluindo boa parte da nova coleção primavera verão) e a preços de fábrica. Esperamos a presença de todos amigos, distribuidores e lojistas!

Estaremos nesse final de semana em São Paulo com a coleção Primavera-Verão: bolsas, sacolas, necéssaires, bolsinhas para festa e outros mimos em tecido e couro. Aproveitem: estaremos com todos os modelos com preço de fábrica! Esperamos sua visita.
Sérgio Dal Sasso e Lucila Abdala

Serão mais de duas dezenas de produtos diferenciados e exclusivos e em condições de fábrica!

Veja o nosso canal no YOU TUBE: http://www.youtube.com/user/bolsasexclusivas?feature=results_main





Dúvidas comerciais:


Da visão rotineira, o impulso para gerar mudanças e agir! (Sérgio Dal Sasso)

Autor: Sérgio Dal Sasso
Fonte: www.sergiodalsasso.com.br

Cá estou em minha missão maior, voltando e resgatando alguns gostos que quase sempre acabamos por interromper junto com os avanços das responsabilidades tipo, ca...
samentos, descasamentos, filhos, contas, em fim, coisas que exigem cada vez mais nossa atenção e dedicação.

Quer saber, é tão bom conseguir resgatar coisas que achávamos que já não tinham valor, aquelas que vamos afastando diante de um mundo de obrigações, que acabam por guiar para as limitações, contrariando o enriquecimento da amplitude, e aproximando da comodidade.

Se você está ai e atento a esta leitura, “Please”, nunca enquadre tua vida num processo rotineiro, de acordar e sempre seguir os passos do dia anterior, pois vai chegar um dia em que estarás sentando numa cadeira de balanço, vendo teus netinhos e tendo que contar histórias interessantes para entretê-los. Nada mal, se isso for o que te completa e traz prazer, mas não pense que a vida é só uma passagem conhecida e definida, pois foi feita para se tentar o máximo no sentido de ampliar o seu lado felicidade, pelas diferentes formas possíveis de serem adicionadas.

www.sergiodalsasso.com.br (Consultoria e palestras)
www.nodepano.com.br (Atividade empresarial)


Artigo: Velocidade, transformações e mudanças - Empresário Palestrante Sérgio Dal Sasso

Autor: Sérgio Dal Sasso
Fonte: www.sergiodalsasso.com.br

A velocidade das mudanças, fruto da busca contínua por soluções e da disponibilidade diária de novas tecnologias, nos insere dentro de um ambiente de pequenos ciclos de sucesso, ...
por onde ninguém se encontra imune por muito tempo.

Nos últimos trinta anos, grandes, médios e pequenos negócios, alguns tidos como modelos de excelência, foram vitimados ou passaram por profundas modificações para que continuassem a se justificar como empresas.

O atual estágio da função "ser gente" é ditado de fora para dentro, ou seja, os negócios se movimentam pela procura de algo que inove, diferencie, que produza e desperte interesse por parte do consumidor.

Implantar e executar significa pensar, criar, planejar e agir integralmente pela busca de soluções que produzam ações cada vez mais velozes e precisas. Num mundo de escala, alta competição e margens reduzidas, aquele que dita na frente terá o privilégio de ser a referência como pessoa, volume e ganhos diferenciados.

Novos comportamentos, novos costumes intensificados pela informação global, determinam um compasso chamado conhecer e treinar, que resulte no maximizar integrando equipamentos e capital humano, gerando ritmo, harmonia e precisão nota dez, independentemente do samba que teremos orquestrar.